Blog

Medalhista na OBMEP, Guilherme Parente é o único aluno do Médio de ensino particular a participar da OBM em Valadares

Ser bom na tão temida matemática é tarefa para poucos! No Genoma, o aluno Guilherme Felix Abreu Parente, do 2° ano, além de amar a disciplina, ainda foi medalhista na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e convidado a participar da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM).

As provas aconteceram nos dias 24 e 25 de novembro, no Colégio Interescolar, localizado na Ilha dos Araújos. Somente os premiados nas OBMEP foram convidados a realizar as provas da OBM. Guilherme ganhou a medalha de bronze e foi o único aluno que cursa Ensino Médio em escola particular de Governador Valadares, a ser premiado.

Antes de entrar no Genoma em 2016, o gênio da matemática morou em outras cidades e ao retornar a Gov. Valadares escolheu a escola por se identificar com a metodologia de ensino do colégio, que, aliado ao seu interesse em matemática, foi fundamental para seu desempenho excepcional na OBMEP.

Guilherme manda tão bem na disciplina que desde do segundo semestre do ano passado, dá aulas de monitoria de forma voluntária para seus colegas. Além de matemática, o gênio também ajuda em Física e Química. O companheirismo entre eles é grande. “As vezes eu acho que meus colegas acreditam mais em mim do que eu mesmo”, conta o aluno.

E com tanto talento assim com os números, qual curso o nosso gênio pretende fazer na universidade? Ele explica: “Pretendo fazer Ciências da Computação ou Matemática. Se eu cursar Matemática, vou querer ser pesquisador ou professor”. Incentivo para pesquisa ele já tem. Como foi premiado na OBMEP, o aluno fará parte do Programa de Iniciação Científica para Mestrado oferecido pelo governo.

Além de Guilherme, outros quatros gênios participaram da OBMEP e receberam a Menção Honrosa. São eles: Gustavo Henrique Aguiar Freitas e Isabella koury de Souza, alunos do 7° ano e Marianna Silva Borburema, aluna do 2° ano, todos de Governador Valadares e Vitor Lauar Pimenta de Figueiredo, aluno do 1° ano de Teófilo Otoni.

Em 2017, a OBMEP contou com 18 milhões de inscritos. A partir dessa edição, a OBM passou a ser integrada juntamente com a OBMEP, com o objetivo de racionalizar a utilização dos recursos financeiros e humanos, bem como tornar mais eficientes os esforços pela divulgação e estímulo da matemática no Brasil. A OBMEP, até então, contemplava apenas os alunos da rede pública mas, com a integração, passou-se a contar, também, com a participação de discentes de instituições de ensino privadas.

 

27 Novembro

Deixe um comentário