Blog

Abaixo ao bullying: gênios do 8° de Valadares e de Teófilo Otoni apresentam projeto de conscientização contra a prática

A palavra bullying vem sendo utilizada para designar toda e qualquer situação caracterizada por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas. “Gordo”, “Dentuça”, “Baleia”, “Esquisita” são alguns dos apelidos utilizados, muitas vezes, até por crianças e que acabam por ofenderem alguém ou até mais: criar um complexo de inferioridade, depressão e ansiedade.

O Genoma Sistema de Ensino desenvolve, junto aos seus gênios, o projeto: Bullying, é hora de parar! Esse ano, a professora de português Joana Paula, trabalhou com os alunos do 8° ano de Governador Valadares e Teófilo Otoni o livro: “Bullying no aquário”, do escritor Ivan Jaf. 

Segundo a professora, o objetivo é levar o nosso gênio a exercer a cidadania de forma justa, respeitando as diferenças e valorizando a dignidade humana. Um ponto importante trabalhado foi a realidade dos alunos, realizando enquete, para verificação da existência da prática de Bullying na vida deles, sofrimento, testemunho e principais locais de ocorrências, respaldando pelo acompanhamento psicológico.

Ela explicou ainda que o livro “Bullying no Aquário”, cuja história fala de um garoto chamado Mateus que sofria dessa prática na escola, foi objeto de reflexão junto aos gênios, o que os incentivou a criarem um movimento na escola de conscientização, por meio de cartazes e divulgação midiática e de um seminário para retratar de maneira sistemática a intencionalidade do livro.

Resultado de imagem para bullying no aquario

O público desse seminário foram os alunos do 6° e 7° anos. Para a aluna Rafaela Avelar, tratar desse assunto com os gênios desses anos escolares foi muito positivo porque ela percebeu o quanto eles estavam atento as informações passadas. “Eu acredito que nosso trabalho de conscientização sobre bullying com os alunos mais novos surtiu um efeito muito bom neles. Via atenção que eles dedicaram ao assunto. Ou seja, conclui que se o trabalho de mostrar o quanto essa prática é prejudicial for feita desde cedo com as crianças, acredito que o comportamento delas seria outro”, disse Rafaela.

Alunos do 8º ano de Valadares

E, agora, serão os gênios do 6° ano que trabalharão o tema. Eles estão lendo, em sala, um capítulo por aula da disciplina de português, do livro: “Alice no país da mentira”, do escritor Pedro Bandeira. Após a leitura há sempre o momento de reflexão.

20 Outubro

Deixe um comentário